Minhas artes

Link-me


Outras atividades

Outras atividades
Ideias, Projetos e Atividades sobre IDENTIDADE

Translate

0

DIA DOS PAIS E DIA DOS AVÓS - Muitas ideias geniais.

Aproveitei para fazer uma postagem dois em um. Muitas ideias bacanas servem para presentear mamães, papais e avós. Juntei tudo que tinha na net e que é maravilhoso, criativo, gostoso, barato e fácil de ser confeccionado pelas crianças e trouxe para cá. Infelizmente, muita coisinha aparece no facebook e no Picasa, sem os devidos créditos, o que é lamentável porque com certeza, ao visitar os autores originais em suas páginas, a gente poderia ver muitas coisinhas legais e inspiradoras. Para visitar a página dos autores que possuo os créditos, clique na imagem e boa viagem!!!!

 
QUADRINHOS CRIATIVOS FEITO COM MÃS E PÉS
IDEIA GENIAL PARA BERÇÁRIO, MAS QUE PAPAIS DE TODAS AS IDADES AMAM




Que tal um chá das cinco para receber as avós. Elas podem confeccionar uma colcha de retalhos, biscoitinhos gostosos e outras coisinhas legais com seus netinhos.
 


Vasinho de gostosuras para um Papai Gostoso - Para dar um toque especial, deve ser pintado pela criançada.
 
Bolachinhas gostosas. A criançada adora culinária e qual visitante não gosta de degustar?


KIT PRIEMEIROS SOCORROS - Com coisinhas que a gente deveria ter a mão, mas nem sempre tem. Quem não precisa de um chocolate naqueles dias de estresse total?

 
ENFEITE PARA PENDURAR EM PORTA, FECHADURA, ESCRITÓRIO - GESSO E A MÃOZINHA e/ou PEZINHO


Porta retrato pintado com dedinhos
Simples, fácil e lindo!!


 
 
 
O CARIMBO DA MÃO USANDO TINTA, pode ser feito em um AZULEJO e virar quadrinho de mesa, já o que for feito em um papel, pode virar um CARTÃO.
 


 
VOVÓ ADORA GELÉIA, CONSERVAS e coisinhas que vem em vidrinhos?
ÓTIMO, se ela guardar, eles viram um lindo enfeite com foto. Quem resiste?




 
 
SUGESTÕES DE LIVROS para Hora do Conto, Teatro etc:
A COLCHA DE RETALHOS - Vovó
O HOMEM QUE AMAVA CAIXAS - Papais 

Leia mais...
0

Inclusão Escolar

A síntese abaixo, é um breve resumo do livro Inclusão Escolar, o que é , por quê e como fazer? Da Montoan. Para entender melhor este tema, recomendo conversar com outros profissionais, pais e familiares, colegas de profissão, bem como ampliar a leitura sobre o tema.



 
 



 
 
Leis e Definições
O que é?
Por quê?
Como fazer?
A constituição elege como fundamento a cidadania e a dignidade, como objetivo a promoção do bem de todos. Direito a igualdade de todos a educação pleno desenvolvimento, cidadania e preparação para o trabalho. Igualdade e condições de acesso e permanência.
É a inserção de todos os alunos. Desde o começo da sua vida escolar. Prevê a inserção de forma radical, completa e sistemática. Todos os alunos sem exceções, devem frequentar as salas de aula do ensino regular. Questiona não somente as politicas e a organização da educação especial e regular, mas também o próprio conceito de integração. É produto de uma educação plural, democrática e transgressora.
Identidade X Diferença
Identidade é ‘o que se é’ inclusão significa compreender e conhecer a riqueza da diversidade. É mais do que tolerar e respeitar. É reconhecer diferentes culturas, pluralidades de manifestações, intelectuais, sociais, afetivas...
A questão legal:
O atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, deve ser realizado, preferencialmente na rede de ensino
A questão da Mudança:
Mudar o pensamento é a escola se legitima, pois é ela o espaço de acesso dos conhecimentos.
É o lugar que se proporciona as condições para o sujeito se desenvolver e se tornar um cidadão, alguém com identidade social e cultural.
Não adianta garantir acesso a escola sem garantir o prosseguimento da escolaridade.
A inclusão requer algumas mudanças e reorganizações institucionais como:
·        Recriar o modelo educativo
·        Reorganizar as escolas
·        Ensinar a turma toda
·        Atuação do professor- preparação
Leia mais...
4

Smash Challenge #13 no Blog Smash Mania

O desafio  é sobre a rotina.
As regrinhas estão no blog Smash Mania.
Pode ser no smash ou seus derivados.
Estou viciada nisto porque já tenho 3 smash's, um "smashão" e 2 scrap diários... ai, ai, ai. Chega né?!
Esta página já estava prontinha, eu já havia feito um tempão atrás. A aula de Zumba Carnaval foi em fevereiro, eu havia registrado o momento e fiz uma página para celebrar minhas colegas e amigos, cada um escreveu seu recadinho no post'it e colou junto. A rotina é dos meus horários diários de malhar. Agora vou fazer uma outra, contando meu dia a dia.
  A-MO!!!

 
 
 
 
Leia mais...
0

Formação Profissional - O ESPAÇO INSTITUCIONAL COMO RECURSO PEDAGÓGICO

É muito importante organizar o espaço de sala de aula sob a concepção de que ele também é um educador, neste âmbito, muitas coisas devem ser observadas, pensadas e (re)planejadas a todo instante. É preciso que o espaço seja pensado com e para a criança, em seus aspectos internos e externos, afinal, o pátio e os demais ambientes da escola também podem se tornar uma fonte de intensa aprendizagem.
Todo ele deve ser planejado de forma a tornar a criança livre e cada vez mais autônoma, onde cabe ao professor orientar e auxiliar quando solicitado, sendo assim, o educador tem um papel fundamental na sua organização, pois é seu olhar e suas observações nas ações das crianças que poderão gerar as mudanças necessárias no ambiente, favorecendo ou impedindo progressos.
Deixo abaixo, algumas sugestões de bibliografias, que podem auxiliar neste aspecto:

Espaços em educação infantil, Vera Melis,  Scortecci Editora.
Sabores, Cores, Sons, Aromas - A Organização dos Espaços na Educação Infantil,  Horn, Maria da Graça Souza,  Ed. Artmed.
Qualidade em Educação Infantil, Miguel Zabalza, Artmed.
As Cem Linguagens da Criança, Artmed.
Diretrizes e Parâmetros curriculares - Publicações do MEC



 O espaço institucional como recurso pedagógico
 
Qualidade
em educação infantil
Ambientes múltiplos – “organizados” (por atividade expressiva de desfrute/consumo, de construção, produção e “estruturados”- no que se refere ao mobiliário e equipamentos. Do ponto de vista afetivo esta organização pode contribuir para que predomine um clima de tranquilidade e serenidade. Elimina o comportamento autoritário do professor dos alunos, a rivalidade das crianças. No plano cognitivo libera os núcleos gerados as estruturas intelectuais. Desenvolvimento autônomo da mente, capacidade de pensar por si, professor é diretor de cena.
 
 
Cem linguagens
As paredes falam, comunicam, são organizados de forma a permitir a liberdade de escolha das crianças, incentivando a autonomia e diminuindo o controle do professor. A sala é um grande espaço com pequenos agrupamentos. Todo espaço da instituição é foco de reflexão, até esmo paredes e tetos acolhem as obras das crianças. Junto com a equipe de professor o espaço é o 3º educador. Organiza e promove relacionamentos. Promove a autonomia e expressa ideias, valores, atitudes e a cultura das pessoas que vivem nele.
Referencial curricular nacional para educação infantil - MEC
Deve ser organizado de modo a privilegiar a independência da criança no acesso e manipulação dos materiais O grupo deve participar da montagem e e organização do espaço. Para cada projeto novos materiais devem ser introduzidos. Os espaços externos merecem foco. Deve ser versátil e sujeito a modificações, de acordo com a necessidade e faixa etária. Os ambientes devem permitir atividade diversificada. Cantos pequenos e aconchegantes. O espaço deve acolher o cuidado e a segurança
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantil-
MEC
Cuidar e educar são indissociáveis na hora de organizar o espaço pedagógico. As dimensões expressivas- motoras, afetiva, cognitiva, linguística, ética, estética e sociocultural são indivisíveis. Deve promover a interação das crianças da mesma idade, mas também de outras idades e dos adultos-m Deve prever a liberdade de movimento, acessibilidade e contato com diferentes culturas
 Alguns PROJETOS PERMANENTES
podem fazer parte do seu espaço
Projetos para 4 a 6 anos
Materiais
Atividades
Sugestões de Cantinhos
 
 
 
 
T  Escova, pau de arame, papel, bolas de espuma, novelos de lã, pedaços de corda, recipientes para limpar e mergulhar os instrumentos, garfo, copos, colher, bexigas.
 
·         Bola de espuma; encharcadas e lançadas na folha.
·         Corda molhada na tinta
·         Aquarela liquida jogar no papel e movimenta-lo para que escorra
·         Escorrido com colher
·         Lançar a tinta de uma cadeira
·         Respingos, forrar o chão com papel.
·         Escrita: colorir o fundo cobrir de preto, desenhar com garfo.
·         Oficina área da casa, área da expressão plástica, área das construções, área das comunicações, área da escrita, área do consultório medico.
·         Área de encontro, e comunicação; áreas de jogos simbólicos, área de trabalho expressão-manipulação e representação. Área da linguagem, logico-matemática, expressão plástica, movimento e expressão corporal, observação, experimentação e manipulação (ciências)
Projetos para 0 a 3 anos
Materiais
Atividades
Sugestões de cantinhos
T  Materiais holísticos, coisas do cotidiano do adulto e da criança mas que não sejam infantilizadas ou de plástico.
T  Papéis, garrafas, cordas, latas, cones, tampas, caixas de papelão de diferentes tamanhos.
·         Explorar gelatina, gema, macarrão cozido, farinha, brincadeiras com agua, caneca, bacias, funil, canos, bolas para boiar, seixos para afundar.
·         Tanque de arreia
·        Interruptores, campainha, trincos
·        Barra de instrumentos musicais
·         Sucata
·         Jogos
·         Fantasia
·         Casinha
·         Das artes
·         Dos brinquedo
·         Da literatura

Leia mais...
1

DIA 13 de Julho - Dia Do Rock - Projeto Música na Ed. Infantil

A música é uma forma de linguagem, sendo também uma habilidade muito importante para ser desenvolvida. Ela expressa e comunica sentimentos, serve como distração e  representa uma forma de cultura (musicas regionais), mantendo um contato direto com outras formas de expressão.
O trabalho com música exige pesquisa  do professor não músico, para que possa desenvolver esta habilidade nas crianças. Ensinar música não envolve o domínio da técnica musical como acordes, notas, leitura de partitura, mas sim a produção de músicas, o manuseio de instrumentos e a apreciação dos vários estilos musicais. O enfoque deve ser o perceber, sentir e o pensar.
O enfoque da musicalização deve permear o cotidiano das crianças, inclusive dos bebês. Não tem idade para dar início a este processo, ainda na barriga da mamãe, é possível colocar música para o bebê relaxar, para os recém nascidos a música pode animar, ninar e divertir.
Para desenvolver um bom trabalho é preciso atentar para alguns aspectos: A música não serve apenas para a rotina (lanche, soninho e higiene), também não deve ser reduzida a datas comemorativas. Um outro aspecto importante é a escolha d os materiais, permitir que as crianças tenham contato com diferentes instrumentos musicais que tenham qualidade é fundamental neste processo. Não é preciso dominar o instrumento, mas entender os conceitos de som e silêncio auxilia na criação dos ritmos, afinal, produzir barulho é diferente de produzir som (música).
A exploração dos sons e suas possibilidades é o foco principal (altura, intensidade, duração e timbre), o corpo e a construção de instrumentos, bem como a apreciação de diferentes ritmos e estilos musicais devem ser a base para o aprendizado da música.
 
 
SUGESTÃO de Leitura básica: Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, VOL 3 - MEC
 
 
PARA VISITAR OS SITES e APRENDER O PASSO A PASSO DESTES INSTRUMENTOS, clique na imagem para ser redirecionado.

 
 
 
 
 
 
 

 
 





Leia mais...
2

Smash Challenge #12

Desafio Scrapbook do Smash Mania, ótima oportunidade para usar o novo "smashão". Ele é enorme e maravilhoso, dá para fazer uma super página. Coloquei bolso para ticket's, anotações etc.
E no meu "genérico", usei a inspiração do desafio como capa.
O tema é viagem.

 

Leia mais...
1

O valor de um exemplo e o poder das palavras

Quando falamos em educar crianças é preciso perceber o poder das palavras. Um elogio, uma palavra de estímulo e de carinho pode fazer com que a criança se sinta segura e reforce sua autoestima, tornando-se cada vez mais capaz. Porém, mil palavras não terão valor algum se nossas atitudes mostrarem exatamente o contrário.
 
Um exemplo simples, não é possível ensinar uma criança a respeitar regras e limites se ao dirigir você ultrapassa a velocidade permitida ou fala no celular, ninguém ensina respeito ao próximo a uma criança, se em sua casa todos brigam e gritam entre si. Estes são apenas alguns pequenos exemplos. Minha mãe dizia que a falta deste entendimento era como "dar moral de cueca", levei anos até finalmente experimentar a maternidade e conseguir compreender e rir desta frase, porque realmente, receber sermão de uma pessoa só de cuecas é um pouco engraçado e tira a seriedade da situação.
 
Quando falamos em filhos, além daquela imensa responsabilidade de educa-los culturalmente, também somos responsáveis pela formação de valores éticos e morais e estes, a gente só forma com ótimos exemplos.
 
Esta semana o Vila Mamífera, publicou o relato de um pai que comenta sobre este tema e aponta pequenas mudanças que vem fazendo para conseguir fazer a diferença na educação dos seus filhos. Vale a pena ler.
 
 
Depois de 7 anos que ampliarmos nossa casa para receber o primeiro bebê, entramos numa “reforminha” há dois meses.
O problema da reforma é o “jack”: “’jack’ está fazendo, aproveita e faz mais isso, isso e aquilo”, e aí o prazo se prolonga. Curiosamente, e para a felicidade geral da Nação, o Brasil também começou a sua “reforminha”: congelamento dos preços das passagens de ônibus e das tarifas dos pedágios, enxugamento da máquina do Estado de São Paulo e o Congresso Nacional aprovou alguns projetos do que chamou “pauta positiva”.
O Judiciário também está respondendo. O Conselho Nacional de Justiça – CNJ puniu com a pena máxima três desembargadores por irregularidades praticadas no exercício de suas funções (o problema é que a pena máxima é ridícula: aposentadoria compulsória, precisamos mudar isso!!!).
Ainda estamos aguardando o enxugamento do Governo Federal, a redução da carga tributária e os investimentos em infra-estrutura, etc.
Para meus filhos, penso que a maior lição que deve ficar é o exemplo. Exemplo de luta. E é assim que eu procuro fazer aqui em casa: dar o exemplo.
Exemplo: quem me conhece sabe que minha letra era horrível. Quando o meu primogênito começou a escrever, fiquei numa sinuca de bico: como cobrar dele uma letra bonita se a minha era péssima?
Numa reportagem no Estadão, sobre profissões que não mudaram nas últimas décadas, apesar de evolução tecnológica, tomei conhecimento de um curso de caligrafia por correspondência. Paguei caro por ele, mas o resultado foi excelente.
Apesar de ainda ter muito o que melhorar, tenho recebido diversos elogios do Gabriel que me enchem de orgulho: “você devia ser professor, porque sua letra é muito bonita.” Agora posso dizer “faça o que eu digo e faça como eu faço”.
 
 
 
 
Lembrando que, nada disto é fácil. São mudanças, pequenas mudanças, que podemos fazer quando nos comprometemos com outra vidinha. Não é fácil, nem rápido, mas o retorno é garantido e, com certeza, vai valer cada esforço.
Leia mais...