Minhas artes

Link-me


Outras atividades

Outras atividades
Ideias, Projetos e Atividades sobre IDENTIDADE

Translate

0

Comemoração Bendito Scrap e Challenge #10 do Smash Mania

Oba, além do desafio, este mês tem aniversário do Blog Bendito Scrap e o presentinho quem ganha é a "Smasher" sortuda.
 
1. Compartilhar o sorteio em algum lugar (Blog, Facebook, Twitter, Rádio, Televisão, Revistas...rs¨*)
2. Deixar um comentário aqui nest post, com o link de onde você divulgou o sorteio!
3. Ser seguidor do blog e da página {.Bendito Scrap.} no facebook.



E para o desafio do Smash Mania, o tema era Amor.
Ah, amor meu grande amor...
Minha página ficou deste jeitinho aí.

Leia mais...
0

Festa Junina se aproximando... ideias pipocando

Estas Rosetas possuem passo a passo, basta clicar na imagem abaixo. As crianças podem fazer e o diferencial é o colorido do papel. Muitas técnicas podem ser usadas para deixar com efeito lindo de viver. Pintura com bisnaga de catchup, carimbo, pegadas e carimbos com as mãos, alimentos etc.








Leia mais...
1

A criança e suas Linguagens


Abordagem Reggio Emilia – Itália

Concepção
A ideia era melhorar a vida da criança após a guerra. Evoluíram de um movimento cooperativo de pais para um sistema administrado municipal.
O desenvolvimento infantil: Teorias, práticas, e contribuições das ciências.
Pedagogia da escuta. O planejamento é entendido no sentido de preparação e organização do espaço, dos materiais, dos pensamentos, das situação e das ocasiões para o aprendizado. Currículo emergente.
Concepções sobre a infância, Suas relações e Seu mundo.
A imagem da criança como um aprendiz competente e poderoso. Rica, forte e poderosa. Tem potencial, plasticidade, curiosidade, desejos, etc.
A Criança e suas linguagens
A expressão visual e a linguagem simbólica são catalisadores. O objetivo do ensino é oferecer condições para a aprendizagem.
O Espaço Institucional como Projeto Pedagógico
O ambiente é o 3º educador, atua como provocador para o aprendizado. Sistema vivo em transformação. As paredes “falam”, “documentam”
A relação educador-educando
O professor é um facilitador da aprendizagem. Grande família e um pesquisador das experiências de aprendizagem.
Brincadeiras, brinquedos e o brincar no processo de aprender.
A arte na forma de expressão visual a linguagem simbólica e a estética são formas de representar o mundo
O tempo, a rotina e o ambiente institucional.
Pais, professores e alunos fazem parte do ambiente de apoio a aprendizagem. Espelhos/Espaços/luz.                                                                             
Construção e desenvolvimento de projetos pedagógicos, Limites e potencialidades
Visa extrair um sentimento mais profundo do mundo e seus fenômenos. Encorajam as crianças a tomar suas próprias decisões e escolhas, geralmente em processo de cooperação com seus colegas.
Registro e documentação pedagógica
O processo de documentação é o meio de tornar a aprendizagem visível e aprofunda-la por meio da reflexão e de perguntas
Outras Definições
Os projetos de trabalho de longa duração, fruto de um currículo emergente, são o ponto de partida das investigações das crianças.

O sistema Reggio pode ser descrito como: uma coleção de escolas para crianças pequenas, nas quais o potencias intelectual, emocional, social e moral de cada criança é cuidadosamente cultivado e orientado. Onde o veiculo didático é o envolvimento das crianças em projetos de longa duração.


RESUMO PRODUZIDO COM BASE NO LIVRO:
EDWARDS, C., FORMAN, G., GANDINI, L. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emília na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 1999.
Leia mais...
0

O Cenário legal e Educacional da Creche no Brasil


O cenário legal e educacional

 

Período/Características
Sociedade/ Política
Concepções
Instituições/Leis
 
1899 – 1930
Reconhecimento da 1ª infância no Brasil
Alto índice de mortalidade infantil;
A creche era um lugar de guarda da criança. Desprovida de politica ou legislação. Luta pela criação de creches.
Creches de 0 a 3 anos (pobres).
Jardim de infância – 4 a 6 anos
Filantrópicas – assistencialistas
Medico - higienistas
*Instituição de proteção e assistência  infância (IPAi) – RJ
*Companhia da Fiação e Tecidos Corcovado – 1ª creche brasileira.
*Departamento da criança do Brasil (DCB)
 
1940 – 1960
A instituição creche é fixada no Brasil
*1943- CLT- defende a criação de salas de armazenamento. Não há fiscalização.
Religiosos e filantropos se responsabilizavam pela sua manutenção;
Governo delega a responsabilidade para as empresas. Mas não fiscalizava;
Não era exigido formação dos cuidadores.
Creche 0 a 12 anos
Creche – 0 a 2 anos
Maternal – 2 a 4 anos
Jardim Infantil – 4 a 6 anos
*Creche passa a ser CENTRO INFANTIL
*LBA
*Departamento Nacional da Infância (DNG)
*Secretaria do bem estar social
 
Década de 70
A luta pela expansão em quantidade.
*Falta de qualidade, pois não havia suporte financeiro. A ideia era conveniar.
Pedagogos começam a se interessar pelo tema;
O estado retrocede com o “Projeto Segundas-Mães” que dura 3 anos. Falta clareza na nomenclatura começa o enfoque educacional para a escola infantil para os bebês, era estimulação cognitiva em ambiente agradável e lúdico.
Os ‘Parques Infantis’ passam a ser “EMEIS” e passam a atender em período parcial.
Creche 0 a 6 anos
Pré-Escola 2/3 anos a 6
*Crecheiras,’cuidadeiras’
*1975- ONU
*1979 - 1º congresso da mulher paulista
 
Década de 80 e 90
*Busca pela qualidade na educação infantil
*Reestruturação da instituição
1 – Definir nomenclatura
2 – Expansão em quantidade
3 – Variedade de concepções pedagógicas;
4 – Não cumprimento da lei
5 – Localização das creches
6 – Formação profissional
Creche de 0 a 3 anos
Pré-Escola de 4 a 6 anos
Centro de educação infantil atende 2 faixas etárias.
*Constituição Federal de 1988
*1996 - LDB

  
RESUMO REALIZADO COM BASE NO MATERIAL DISPONÍVEL EM:
BORGES, R.R. Capítulo I A História da Creche: em busca de uma política e de um trabalho pedagógico de qualidade na Educação Infantil. In: Curso de Extensão Universitária PROEPRE. Campinas, 2009. Tese de doutorado disponível em http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000446117http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000446117..
Leia mais...
0

O Histórico das Creches no Brasil


O HISTÓRICO DAS CRECHES NO BRASIL   
De caráter compensador a preparatório

1899 – 1930
Reconhecimento da 1ª infância no Brasil
1940 – 1960
A instituição creche é fixada no Brasil
Década de 70
Luta pela expansão em quantidade
Década de 80 e 90
Busca pela qualidade
Revolução Industrial;
A mulher é absorvida pelo mercado de trabalho;
 
Luta contra a exploração da mão de obra infantil.
 
Fora da fabrica a criança ficava na rua ou em casa sozinha.
 
Pressão para a criação de espaço para acolher as crianças.
“Cuidadeiras” x Mortalidade Infantil.
 
1ªs Instituições:
Filantropos e Religiosos administravam;
Concepção médico assistencialista.
“Patriotismo”
As mães operárias precisavam de maior tempo de atendimento.
 
A creche passa a ser de 0 a 12 anos.
 
O caráter médico assistencialista era mantido e as mães desestimuladas a trabalhar fora de casa.
 
O estado definia que a empresa privada deveria ofertar vagas porem, não fiscalizava.
A falta de investimento era a causa da luta pela expansão;
 
A politica era conveniar;
 
Surge o interesse da pedagogia pela creche;
 
Há um retrocesso em 75,com o projeto “Segundas-Mães”, que dura 3 anos.
 
Em 72, surgem as EMEIS.
Período de reestruturação;
 
Em 88 passa a ser dever do estado e um direito da criança e passa a ser complementar a ação da família, devido a alteração na constituição.
 
Pesquisas relevantes começam a surgir. Muitas contribuições vindas da neurologia e psicologia.
 
Em 1996 a LDB faz definições para nomenclatura, formação…


MATERIAL RESUMIDO A PARTIR DO TEXTO COMPLETO DISPONÍVEL EM:
BORGES, R.R. Capítulo I A História da Creche: em busca de uma política e de um trabalho pedagógico de qualidade na Educação Infantil. In: Curso de Extensão Universitária PROEPRE. Campinas, 2009. Tese de doutorado disponível em http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000446117.
Leia mais...
0

Desafio Smah Book #9

A página do meu smash é com o tema parque de diversões.
O lado "funny" de fazer esta página ficou por conta da regrinha que era usar guache (tinta) na página, preparei a cor, coloquei um pouquinho de água para diluir e quando fui cuidadosamente fazer os respingos, minha filha que estava preparando um bolo, deu um grito ao encostar na forma e eu levei um sustão. O saldo é que virei a tinta com tudo, manchando não apenas esta página, mas mais três abaixo. Rimos muito. Ficou deste jeitinho aí embaixo, minha participação #9 no desafio do smash mania.
 

Leia mais...