Minhas artes

Link-me


Outras atividades

Outras atividades
Ideias, Projetos e Atividades sobre IDENTIDADE

Translate

4

BRINCADEIRAS infantis e as sua origens

Estudos têm dificuldades para apontar origem das brincadeiras, que integram a cultura popular do mesmo modo que a literatura oral, a música e a culinária.

A pintura "Jogos Infantis", do flamengo Pieter Brueghel, de 1560, que mostra 84 atividades lúdicas

Vamos brincar então?

Observe com atenção a imagem acima e encontre algumas brincadeiras que ainda são utilizadas nos dias de hoje.

No quadro “Jogos Infantis”, o flamengo Pieter Brueghel (1525?-1569) mostra cerca de 250 personagens participando de 84 brincadeiras, em 1560. Grande parte delas é conhecida ainda hoje. É o caso da maria-cadeira, em que duas crianças trançam os braços para formar uma cadeira humana, usada para lançar um dos companheiros, após o canto de um versinho: “Onde vai, Maria Cadeira?/ Vai à casa do capitão,/ O capitão não está em casa,/ Joga Maria Cadeira no chão/ joga Maria Cadeira no chão...”.

De onde vêm as brincadeiras? Ninguém responde com certeza. Elas são universais e fazem parte da cultura popular , como a literatura oral, a música, a culinária.

A brincadeira pode ser considerada uma linguagem.

Sigmund Freud (1856-1939) analisou o comportamento de um menino de 18 meses, que se divertia com uma linha presa no carretel. A criança atirava o carretel para longe e perto do berço _e dizia “vor” (perto) e “da” (longe). Para o psicanalista, o jogo seria a vivência simbólica da presença e afastamento da mãe.

Melanie Klein (1882-1960) e outros psicanalistas e psicólogos trabalharam com a ludoterapia e atribuíram aos jogos e brincadeiras a função de elaborar sentimentos e vivências. Eles divertem as crianças e as preparam para a realidade.

Homero fala de jogos infantis na “Odisséia”. Em túmulos de crianças do século 4 a.C., na Grécia, foram encontradas bonecas. Mas é impossível dar a palavra final sobre a origem de uma brincadeira, pois ela ganha variantes e se transforma no tempo e no espaço. As primeiras famílias européias que chegaram ao Brasil durante a colonização trouxeram a boneca, o pião e o soldadinho. E também monstros e gigantes, ogros e “trolls”, sereias e duendes, junto com canções de ninar e contos de fada.

Os africanos também contribuíram com criaturas que assustavam as crianças, como o tutu-marambá, o quibungo e o nironga. Há referências de que as danças de umbigada têm origem africana. Em 1928, Simões Lopes Neto escreveu que certas danças teriam características indígenas e traços portugueses, como o sapateado.“(...) Parecem haver resultado de uma combinação das danças dos primitivos paulistas, mineiros e lagunenses, com as danças dos açoristas e dos indígenas, mais a meia-canha e o pericon, danças que se usava nas repúblicas do Prata, especialmente em Corrientes, Entre-Rios e Estado Oriental.”As danças tinham nomes indígenas como anu e tatu, além de chimarrita, chico, galinha-morta, e eram dançadas em bailes chamados fandangos que, a partir de 1840, foram sendo substituídos pelas danças vindas da Europa. Eram divertimentos tanto das classes altas quanto das senzalas.Muitas dessas danças passaram para as rodas infantis.

É o caso da dança que acompanha a canção que diz “Folga, folga, minha gente,/ que uma noite não é nada;/ se não dormires agora,/ dormirás de madrugada!”.

Tudo isso foi sendo misturado ao Brasil que já existia antes de ser descoberto. No imaginário dos índios, antes de eles sofrerem influência das missões catequéticas, heróis reinavam sobre a terra. Além de Macunaíma e Maíra, mitos mais difundidos, Nunes Pereira registrou, em 1940, o mito de Bahira, o herói bem-humorado que roubou o fogo guardado no céu pelos urubus. Informam Orlando e Claudio Villas Boas que as crianças indígenas brincam durante todo o dia, especialmente com seus arquinhos e flechinhas. Têm, como se vê hoje entre as crianças do país, brincadeiras de disputa.


Com os curumins, as crianças africanas e européias aprenderam a brincar de imitar animais. Essa fusão cultural tem um paralelo no que acontece na mitologia. Em 1905, Max Schmidt apontou para o risco de se considerar originais algumas correspondências míticas, como a assimilação de Tupã como Deus, explicada por Camara Cascudo.

Um exemplo da miscigenação cultural e da dificuldade de datar e estabelecer origens pode ser observado nas interpretações sobre o conto jocoso “A Festa no Céu”. Na Grécia, um aforismo dizia que animal rasteiro não pode querer voar. Isso leva a crer que a história do sapo que foi a uma festa no céu escondido na viola do urubu já tinha uma versão grega. A história foi registrada entre os índios brasileiros, que provavelmente a conheceram por transmissão dos europeus, e em povos africanos. Uma fábula africana de Angola que diz que a tartaruga (que é sapo ou rã em variantes brasileiras e corresponde, nessa história, à astuta raposa na Europa) é condenada à morte e suplica que não lhe matem pela água, mas pelo fogo. Os inimigos resolvem afogar a tartaruga, e ela se salva.A história também pode ter vindo do Oriente. O tema aparece no “Panchatranta” (livro da mitologia indiana), que se vulgarizou na Espanha sob a influência árabe. La Fontaine pode ter se baseado nessa obra para criar fábulas.Para o estudioso Sílvio Romero, a cultura brasileira toma forma a partir do século 17: “No século 16, pois, por uma lei de evolução que dá em resultado antecederem as formas simples às mais compostas, as canções e cantos populares das três raças ainda corriam desagregados, diferenciados. Nos séculos seguintes, sobretudo no 17 e 18, é que se foram cruzando e aglutinando para integrar-se à parte, produzindo o corpo de tradições do povo brasileiro”.João Ribeiro escreveu no livro “O Folk-Lore” (1919) que as brincadeiras infantis “são mensagens e recados de raça a raça, de povo a povo, de século a século, sem sair da perene onda infantil que os leva a ignorados destinos”.O estudo das variantes linguísticas das brincadeiras ajuda a estabelecer elos históricos. Ribeiro faz um estudo da expansão da brincadeira joão-do-cabo. Ele conta que, em 1919, o jogo vintém-queimado existia em Portugal e possessões, com vários nomes. Na Espanha, o nome era joão-das-cadeinhas. Alberto de Faria recolheu em Campinas (SP) a seguinte variante:_ Vintém queimado!_ Quem queimou?_ Pilão do Carmo (Vilão do Cabo)._ Quer que se prenda?_ Prendido vá.”Após o diálogo, vem outra série de versos, que autorizam a passagem de quem está na brincadeira:_ Passa, passa cavaleiro, pela porta do carneiro!_ Tem uma corda p’ra me emprestar?_ Tenho; mas está suja._ De quê?_ De cuspe de galinha!_ Vamos experimentar..._ Vamos!”Depois dessas perguntas e respostas, feitas por dois meninos que estão nos extremos de uma cadeia de crianças de mãos dadas, todos passam sob os braços em arco dos meninos de uma ponta (a porta do carneiro) à outra; em seguida, os meninos dão um puxão para arrebentar a cadeia (a corda). Todo mundo cai.Então, os dois meninos iniciais marcam no chão o inferno, o purgatório e o céu.Um fica com a mão direita erguida e espalmada, para que os outros batam nela com as cabeças, enquanto pulam. Quem consegue fazer isso vai para o céu. Os perdedores vão para o purgatório ou inferno. As crianças gritam para quem foi para o inferno:_ Coisa ruim, tem-tem_ Pra ganhar vintém!Ribeiro interpreta que o nome vilão-do-cabo teria vindo do tratamento dado a um dos meninos dos extremos da cadeia (na Espanha, frei João das Cadeinhas). Por sua vez, o nome vintém-queimado seria corruptela de “veinte y un quemados”, da parlenda castelhana da tradição quinhentista.

No Nordeste do Brasil, a variante desse jogo é bolotinha-de-cabra e foi recolhida por Julio C. Monteiro. No Ceará, essa brincadeira é conhecida também por bolão-de-cabra, que tem semelhança sonora com “vilão”. No Sul do Brasil, chama-se pilão-do-carmo. Na Bahia, é vilão-do-cabo mesmo. Se vilão resultou em bolão, por que o nome bolotinha? João Ribeiro explica. Como o jogo na península era também conhecido como juan-de-las-cadenetas (“cadeneta” é cadeia de “lavor e trancelim”), “em Portugal o povo, por zombaria, transformou a expressão em jam-da-caganeta desde o século 18”. Caganeta (ou caganita) designa o excremento da cabra. E aí está a razão “que faz predominar no extremo norte o título de bolão e bolotinha-de-cabra para um jogo que primitivamente se havia de chamar vilão-do-cabo ou jam-da-caganeta”.E como vilão-do-cabo virou pilão-do-carmo? É possível que vilão tenha sido substituído por peão, que acabou por se transformar em pilão.A análise dos aspectos linguísticos demonstram o percurso que o jogo fez por Portugal, Espanha e Brasil. A interpretação de uma versão italiana (“tila-tila”) ajuda a descobrir por que um barulho, simulando um tambor, foi incluído na versão brasileira. A mudança pode ter apenas relação verbal. Explica João Ribeiro: “Quase todas as criações tradicionais devem suas formas a verdadeiros equívocos e trocadilhos das palavras. Só a essência escapa a essas erosões e metamorfoses da linguagem”. O curioso na parlenda vilão-do-cabo, que deu na boca-de-forno, é que ela repete o tema da comida, que sempre aparece nas brincadeiras infantis: o bolo, o pão e o forneiro. A palavra final sobre essas interpretações, no entanto, ninguém a terá. O resultado desses questionamentos é tão aberto como o do estudo da poesia.

Gostou? Veja na íntegra: http://www1.folha.uol.com.br/fol/brasil500/brinca8.htm

Leia mais...
7

Sugestão de atividades para o dia das mães - Mensagem



Esta mensagem é antiga e batidinha eu bem sei... mas é linda demais e vale a pena relembrar.


Uma criança pronta para nascer, perguntou a Deus:
- Senhor, dizem que descerei para a Terra amanhã, mas como vou viver lá, sendo assim, tão pequena e indefesa?
E Deus falou:
- Entre muitos anjos, eu escolhi um muito especial para você. Esse Anjo está lhe esperando e tomará conta de você.
A criança, curiosa, continuou:
- Mas, me diga uma coisa, Senhor, aqui no céu eu não faço nada, a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz...como será lá na Terra?
E Deus, pacientemente falou:
- Seu Anjo irá cantar e sorrir para você. A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu Anjo e será feliz.
A criança queria saber mais e perguntou:
- E como vou entender, quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas da Terra falam?
E Deus respondeu:
- Com muita paciência e carinho, seu Anjo vai lhe ensinar a falar.
A criança quis saber mais:
- E o que vou fazer quando eu quiser falar contigo, Senhor?
Deus disse:
- Seu Anjo vai juntar suas mãos e lhe ensinar a orar.
A criança, preocupada, perguntou também:
- Eu ouvi dizer que na Terra existem homens maus. Quem irá me proteger dos perigos?
Deus, então, respondeu:
- Seu Anjo irá defender você, mesmo arriscando sua própria vida.
A criança queria saber muito mais e falou:
- Então serei sempre triste porque não o verei mais, Senhor!
Deus disse:
- Seu Anjo sempre irá lhe falar de Mim. Vai lhe ensinar a maneira de vir a Mim. E Eu, sempre estarei dentro de você!
Nesse momento, havia muita paz no Céu, mas, as vozes da
Terra já começavam a ser ouvidas.
A criança, apressada, pediu carinhosamente a Deus:
- Oh, Deus! Se eu este é o momento de ir para a Terra, por favor, me diga...qual o nome do meu Anjo?
E Deus respondeu:
- Você chamará o seu Anjo de: MÃE !


A imagem foi retirada do endereço:

Leia mais...
5

SUGESTÃO PARA O DIA DAS MÃES - Poema e cartão


Cole atrás do buquê, um imã, assim ele ficará coladinho no lugar que ela desejar. Use e.v.a


Mãe (Mário Quintana)


Mãe... São três letras apenas

as desse nome bendito:

Também o Céu tem três letras...

E nelas cabe o infinito.

Para louvar nossa mãe,

Todo o bem que se disse

Nunca há de ser tão grande

Como o bem que ela nos quer...

Palavra tão pequenina,

Bem sabem os lábios meus

Que és do tamanho do Céu

E apenas menor que Deus!


Mario Quintana era (e ainda é) um grande poeta gaúcho
Leia mais...
7

PAINEL DO TEMPO e crachás para ajudante do dia

CRACHÁS DOS AJUDANTES DO DIA

Para o rostinho basta um círculo, medido com fundo de garrafa pet.
As bochechas são e.v.a vazado com furador de papel, os olhos são encontrados em casas de aviamentos, juntamente com o cordão, para pendurar no pescoço.
O acabamento da boca e nariz é dado com caneta para retro projetor.
PAINEL DO TEMPO
O painel do tempo é feito em e.v.a, atrás das roupas e da boneca é colocado pedacinhos de imã, que facilitam o vestir e o desvestir, observando a temperatura que está na rua.
Para as nuvens de chuva, sol e tempo nublado é colocado velcro
Também é possível colocar velvro na boneca e atrás das peças de roupa, mas se arrancado com força pode rasgar o e.v.a


Leia mais...
3

POEMAS e sugestões de músicas para o dia das mães

Mãezinha - só uma
(George Cooper)
Tantas estrelas, no céu, estão brilhando,tantas conchinhas brincando com o mar,tantos carneiros no campo pulandoe passarinhos voando a cantar.Tantas abelhas fazendo zum-zum, e borboletas azuis a voar, tantas gotinhas de orvalho na grama,mãezinha - só uma eu tenho para amar.
(Trad. de Edvete da Cruz Machado, in O Mundo da Criança vol.2)
CD - Obrigado, Mamãe
Pedro Bandeira0
1 - Obrigado, Mamãe
02 - Uma Surpresa Pra Ela
03 - Lembra, Mãe
04 - Lição de Casa
05 - Minha Professora
06 - No Ano que Não Vem
07 - Que Barulho será Esse
08 - Beijinho de Mãe
09 - Palavras Mágicas
10 - Uma rima por Favor
11 - Seis Vezes Dois
12 - Nunca Mais Fico Sozinh
o13 - Foi Sem Querer
14 - Acorda, Menino
15 - Meu Amigão
16 - Quem Sempre foi, Sempre será
17 - Vou Pra Casa da Vovó
18 - Vai Já Pra Dentro, menino!
19 - Dormi, Dorme, Filhinho
O CD PARA BAIXAR SE ENCONTRA NESTE LINK:
Esta sugestão foi retirada da comunidade do orkut, MÚSICAS PARA CRIANÇAS, quem disponibiliza os arquivos é a Hilary, dona da comunidade.
OUTRAS MÚSICAS
Ivete Sangalo - Alô paixão, Amor perfeito, Beleza Rara,
Vinícius de Moraes - Eu sei que vou te amar
Cristina Mel - "Obrigada mãe"
Chiclete com banana "100% você"
Adriana Calcanhoto - Fico assim sem você
Roberto Carlos - Como é grande meu amor por você
E muitas outras... tem algumas da dupla Sandy e Júnior e dos Tribalistas como Você é assim, que também podem servir para homenagear as mamães.
NOTA PESSOAL: Cuidado ao baixar arquivos da internet, eles podem conter vírus.
SUGESTÕES DE PRESENTES
Uma tela, pintada pelos pequenos;
Guardanapo pintado pelos pequenos para ter na bolsa;
Uma bolsa bem bonita;
Caderno ou agenda com acabamento feito pelas crianças, pode ser técnicas variadas como pintura com esponja, rolo de papel higiênico, tinta relevo etc...
Pano de prato;
Bandeja de levar café na cama;
Uma camiseta, com a mão ou uma pintura da criança.
Porta retrato;
Imã de geladeira;
Sabonete caseiro ou sabonete decorado;
Bloquinho de anotações com caneta, as crianças fazem uma ponteira e o acabamento no bloco com E.V.A;
Porta Papel Higiênico em TNT;
Potes decorados (pintar ou colar E.V.A empotes de sorvete e requeijão);
Caderno de receitas;
Sachê para perfumar armários (com sagú)
Latinha de nescau ou leite em pó, decorada para guardar utensílios;
Vidro de nescafé decorado para guardar algodão colorido ou cotonetes.
Leia mais...
1

Manualidades - Sugestões para construir materiais diversos

O calendário é feito com tampinhas de garrafa PET.
Tentarei postar o calendário novo que ficou lindo assim que der.
A meia e a luva usadas, viraram uma lagarta e uma aranha para o teatro.
Os olhos da lagarta ou cobra, foram feitos em E.V.A.
Já aranha tem uma bola de ping pong para fazer o rosto e o laço e a boca são em E.V.A e os olhos são comprados em casa de aviamentos.




Construção de jogo da memória, utilizando material reciclável.
Usei potes de iogurte para construir o jogo da memória com as placas de trânsito.





Leia mais...
6

BRINCADEIRAS para as aulas de matemática - Jogo dos palitos


Palito

Jogo para crianças a partir de 6 anos.
Objetivo:
Resolução de problemas envolvendo adição, subtração e comparação de quantidades; estimativa de quantidade; leitura e escrita de números; contagem.
Organização da Classe:
Grupos de duas ou mais crianças.
Material:
palitos de fósforos ou algo similar; papel para anotações.

Regras:
Cada jogador tem 3 palitos
A cada jogada os jogadores colocam suas mãos atrás das costas e deixam na mão direita uma quantidade de palitos que varia de 0 a 3 sem que o outro saiba. Os jogadores colocam então uma das mãos para frente e cada um fala quantos palitos acha que têm em todas as mãos juntas. Quando cada jogador fizer sua estimativa todos abrem a mão e conferem o resultado. Marca um ponto quem chegar mais próximo, ou adivinhar ao total de palitos. Depois de 5 a 10 rodadas ganha quem conseguiu mais pontos.
Com a classe em roda jogue algumas vezes com eles para que compreendam as regras.
Repita esse jogo umas 4 vezes ao longo de um mês, para que os alunos tenham tempo de aprender com o jogo.
Proponha algum tipo de registro. O registro auxilia na aprendizagem, na percepção dos avanços de cada um, e a perceber qual a compreensão que tiveram dos assuntos abordados com o jogo. Veja alguns registros que foram feitos para esse jogo por alunos de 6 anos.

DICAS PARA O JOGO DO PALITO
Pensar antes de falar
Antes de começar o jogo, tem que usar a imaginação, se der, olhe no buraquinho da mão do amigo e depois conta quantos palitos ele tem, mas não pode deixar ele perceber
Não pode deixar a pontinha do palito para fora se não o amigo vê e ganha o jogo
Tem que somar os palitos das duas mãos, quem ganhar fica com os palitos do amigo
Deixar o amigo falar primeiro para depois a gente somar
Ficar atento ao número que o amigo fala várias vezes, pois pode ser, que ele tenha essa quantidade de palitos na mão
O importante é que todos participem

Use o jogo para propor alguns problemas :
Comece com duplas e depois faça em trios e quartetos, isso aumenta o grau de dificuldade das jogadas.
Aumente o número de palitos para 5 ou 6.
Juliana e Marina estavam jogando palitinho em uma rodada em que usavam 5 palitos cada uma. Juliana disse 8 e Marina disse 10. O total era de 7, quem marcou ponto nessa rodada? Por quê?
Cristiane e Andréa viram que em uma das rodadas o total de palitos das duas juntas era 4. Sabendo que nessa rodada elas jogavam com três palitos cada uma, quantos palitos cada uma poderia ter nas mãos?
Na mão de Patrícia havia 3 palitos e o total era de 6 palitos. Quantos palitos estavam na mão do outro jogador? (Observe que esse é um problema no qual faltam dados, pois não informamos quantos jogadores nem mesmo a quantidade de palitos, deixe que discutam entre si e ao final complete com eles as informações que faltam no problema)
Renato, Fernando e Carol jogavam palitinhos, com 3 palitos cada um. Quando abriram suas mãos havia 6 palitos no total. Quantos palitos cada uma poderia ter na mão? (observe que há mais que uma solução possível)

NOTA PESSOAL: A última rodada foi registrada em uma folha.
As crianças tiveram que colocar o nome do colega, a quantidade de palitos que cada um tinha.
De vermelho pintaram o nome de quem ganhou a jogada, circularam quem tinha menos palitos e fizem um "X" em quem tinha mais palitos.

Para saber mais:

A arte de Brincar - Adriana Friedmann, editora Scritta, 1996
Resolução de problemas - Kátia Stocco Smole, Maria Ignez Diniz, Patrícia Cândido, editora Artmed, 2001.
Leia mais...
5

BRINCADEIRAS para trabalhar MATEMÁTICA


Vamos pular amarelinha ?


Cristiane ChicaCoordenadora do NUTEC- Mathema
Recomendado para crianças a partir dos 4 anos.
Conteúdo: Números, noção de espaço e medidas.
Competências e habilidades: Reconhecimentos de algarismos, seqüência numérica, contagem e comparação de quantidades. Avaliação de força e distância.
Recursos: amarelinha desenhada no chão.

Quem não conhece a amarelinha? É uma das mais tradicionais brincadeiras de rua deste país. Nela a criança tem de pular - ora com um pé só, ora com os dois - sobre quadrados riscados no chão, evitando pisar na casa onde foi lançada a pedrinha com que se marca a progressão em direção ao "céu", o ponto final da brincadeira.
Durante o jogo, é preciso abaixar sem encostar um dos pés no chão, rodopiar no ar, deslocando-se ora para um lado, ora para o outro, ora para frente, ora usando as mãos, ora os pés. É um exigir constante do controle sobre o corpo e o espaço.
Adotar a amarelinha nas aulas de matemática significa poder desenvolver a inteligência corporal a partir das relações realizadas entre as crianças com seus recursos corporais e elementos do meio.
Além do desenvolvimento do esquema corporal e noção espacial, podemos dizer que a amarelinha também auxilia no desenvolvimento de noções de medidas e números.
Ao lançar a pedrinha no quadrado desejado é preciso avaliar a quantidade de força a ser colocada na mão, avaliar a distância entre o corpo e a casa atingida.
Contagem, seqüência numérica, reconhecimento de algarismos, comparação de quantidades, são alguns conceitos e habilidades que podemos desenvolver a partir desse trabalho.
Você já havia notado quanta matemática podemos explorar numa simples brincadeira?
Dicas para iniciar a brincadeira pela primeira vez:
Faça uma roda com os alunos e pergunte a eles:
- Quem conhece a amarelinha?
- Quais os tipos de amarelinha que conhecem?
- Deixe que desenhem como elas são.
- Como se joga a amarelinha?
- Como podemos organizar essa brincadeira?
- Como se decide quem joga primeiro?
Após levantar o que os alunos sabem sobre essa brincadeira, a professora pode propor que todos vão conhecer uma amarelinha .
Pode-se iniciar explorando com as crianças somente a maneira de pular, uma vez que não é simples esse pular, elas precisam coordenar muitas ações ao mesmo tempo. Num outro momento então, pode-se ensiná-las como é a brincadeira. Enquanto algumas crianças são convidadas a iniciar, as demais observam sentadas em círculo ao redor do diagrama. Uma criança também pode auxiliar a outra.
Uma nova organização da classe:
Quando os alunos já estiverem familiarizados com a brincadeira, o professor pode desenhar de dois a quatro esquemas da amarelinha para que possam brincar, sendo que em cada grupo seja colocado duas crianças que já tenham maior conhecimento para auxiliar as demais.
Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento da atividade: pode ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil e o que foi difícil, tomem decisões sobre como realizar a brincadeira numa próxima vez, ou realizar um desenho da brincadeira, ou ainda produzir um texto coletivo sobre as regras aprendidas.
Repita a brincadeira, pelo menos umas quatro vezes, para que todas as crianças tenham oportunidade de aprender a brincadeira e superar suas dificuldades, vencendo os desafios propostos, bem como, apreender todas as regras.

A amarelinha tradicional:

Desenvolvimento:
- As crianças devem decidir a ordem dos jogadores, ficando a primeira de posse da pedrinha;
- Cada jogador, ao chegar a sua vez, se coloca atrás da linha de tiro, de frente para o diagrama, e atira a pedrinha na casa número 1. Aproxima-se, então do diagrama, pulando a casinha onde está a pedrinha, caindo com os dois pés no 2 e no 3, com um pé só no 4 e repetindo esta seqüência até chegar ao 10. Na volta, sem entrar na casa número 1, nem pisar nela, ela deve pegar a pedrinha com os pés nas casas antecedentes, no caso, 2 e 3. Deve pular a casa 1 e agora arremessar a pedra à casa número 2, repetindo o mesmo processo, e assim sucessivamente até chegar a última casa ou até errar, quando então cede a sua vez ao seguinte.
- Constituem erros jogar a pedrinha fora da casa desejada ou sobre uma linha da figura; apoiar-se com dois pés no interior de uma mesma casinha; trocar o pé de apoio durante o percurso e esquecer de pegar a pedrinha.
- Depois de cada criança ter tido sua vez, o primeiro recomeça da casa onde estava ao errar, e assim por diante, até alguém alcançar o 10.
- Vence quem terminar a amarelinha toda primeiro.

Para saber mais:
Brincar: crescer e aprender, de Adriana Friedmann, editora Moderna, 1996
Brincadeiras infantis nas aulas de matemáticaKátia Stocco Smole, Maria Ignez Diniz e Patrícia Cândido, editora Artmed, 2001
Leia mais...
0

DE 14 A 18 DE ABRIL - Semana do trânsito legal


PROJETO TRÂNSITO
A VIDA É O MELHOR CAMINHO


Objetivo:

Orientar as crianças para os cuidados no trânsito, de forma a desenvolver hábitos de respeito e contribuir para a formação de futuros motoristas conscientes, que dirijam de forma defensiva e segura, bem como conscientizar a criança para que aprenda o trânsito e respeite, colocando-se no lugar de pedestre.

Justificativa:

Muitas vezes o estresse do cotidiano é descarregado no trânsito. Ultrapassagens arriscadas em nome da pressa, desrespeito aos pedestres e regras de trânsito e impaciência, gerando uma forma de dirigir ofensiva e arriscada.
A família, espelho das ações das crianças, muitas vezes acaba por reforçar na criança algumas destas atitudes, enquanto deveria corrigi-las. Atender celular ao volante, jogar lixo pela janela, arrancar em sinal vermelho, não utilizar cinto de segurança ou permitir a criança no banco da frente, são alguns exemplos de desrespeito à vida.
Este projeto visa uma formação crítica e um olhar atento dos futuros motoristas, de forma que, desde cedo, aprendam a respeitar as regras de trânsito e a corrigir as atitudes inadequadas.

Objetivos gerais:

Desenvolver atitudes coerentes à paz no trânsito, através de debates, conversação e confecção de murais com as regras de trânsito;

Despertar valores de tolerância e respeito, através de diálogo e percepção do outro, contribuindo para melhorar atitudes no trânsito;

Orientar-se no trânsito através das sinaleiras, faixa de segurança e placas;

Esclarecer dúvidas em relação ao trânsito e suas regras, através de palestra com o agente de trânsito;

Expressar o entendimento sobre as regras de trânsito trabalhadas no projeto, durante a semana do trânsito, em campanha de conscientização dos motoristas (Blitz no trânsito e panfletagem);

Reconhecer e nomear os diferentes meios de transportes e suas finalidades.

Alguns objetivos específicos:

LINGUAGEM ORAL: Através de um mural com regras de trânsito, identificar as atitudes corretas e incorretas no trânsito,
Dialogar sobre a forma como a família respeita as regras de trânsito e discutir que orientações as crianças devem levar às famílias.
LINGUAGEM NUMÉRICA: Identificar as formas geométricas presentes nos sinais de trânsito;
Noções de espaço (grande,pequeno-perto.longe-aqui,ali), medidas de tempo (antes,depois-hoje,amanhã), quantidades (muitos,poucos)
MÚSICA E MOVIMENTO: Aprimorar a motricidade através de circuitos, reproduzindo a estrada, quebra-molas, sinaleiras, placas de trânsito, etc.

SUGESTÃO DE ATIVIDADES:

Levar jornais e notícias sobre o trânsito para as crianças e dialogar sobre acidentes e a possibilidade de serem evitados.
Questionar se a turma conhece regras de trânsito e quais são elas.

Levar a criança a pensar o trânsito, se colocando no lugar de pedestre, não apenas de motorista ou usuário de carro;
Fazer o gráfico da turma sobre (quantos usam cinto, quantos viajam no banco de trás), depois analisar com questionamentos que levem os pequenos a compreensão do número, quantidades.
Visitar a fundação Thiago Gonzaga para assistir o teatro e tirar dúvidas,
Se houver a possibilidade, levar um guarde de trânsito até a escola, para que converse e oriente os pequenos. Neste dia, solicitar que levem a bicicleta, triciclo ou patinete, para simular a rua (montar uma “transitolândia”). Neste dia as crianças ganharão uma carteira de motorista, com habilitação para estes três itens.
No final, as crianças receberão um certificado de que estão aptas a serem monitoras de trânsito, poderão corrigir atitudes e orientar a família para que tomem cuidado.
Leia mais...
30

SUGESTÃO PARA PROJETO HORA DO CONTO



PEDIDO DA PATRÍCIA



PROJETO HORA DO CONTO



Este projeto deve ser permanente em qualquer turminha, desde o berçário, pois quanto mais cedo a criança entra em contato, melhor será o seu desenvolvimento.

Há vários links falando sobre a importância da leitura para crianças, como contar histórias e sugestões de histórias para cada faixa- etária, quem quisér ler e aprofundar este tema, há sugestões nas poastagens mais antigas, é só pesquisar.



Trabalhar com a hora do conto de forma permanente, pode enriquecer o aprendizado das crianças de forma significativa. Os contos transmitem mensagens e facilitam o aprendizado de regras e a criaação de hábitos, além de contribuir aperfeiçoar e facilitar o processo de alfabetização. E os benefícios não para por aí.



A comunidade PROJETOS PEDAGÓGICOS DINÂMICOS, dispõe de projetos criativos e elaborados de acordo com a realidade educacional da sua escola, entre em contato e faça um orçamento.



Este é o exemplo de um dos projetos oferecidos por este site:

http://www.projetospedagogicosdinamicos.com/mala.htm



Projeto Mala Mágica - um incentivo à leitura de forma divertida



Além de estimular para a alfabetização e criar o hábito e o gosto pela boa leitura o projeto desenvolveu a linguagem oral das crianças ampliando seu vocabulário, entrosou a classe que aprendeu a trabalhar em grupo, produziu trabalhos artísticos desenvolvendo a capacidade criadora, culminando num sucesso absoluto que ampliou o conhecimento do mundo das crianças que ainda aprenderam a confrontar realidade e fantasia.


Denominado “Mala Mágica” o projeto constituiu-se basicamente em a cada final de semana a mala ir para a casa de um aluno, juntamente com um livro de literatura. Ao retornar à escola, o aluno deveria levar para a sala de aula a mala e dentro dela a fantasia do personagem principal da história e o registro dos momentos mais importantes desta construção. O que uniu os responsáveis ao projeto engajando-os no mesmo.


“ Cada vez que a criança ouve histórias de faz-de-conta, dá vazão às próprias emoções e pode ensaiar diversos papéis, pois a linguagem simbólica, não verbal dos “Contos de fadas”, comunica-se diretamente com o imaginário da criança, fazendo-a perceber que os problemas existem, mas que eles devem ser enfrentados e podem ser sempre solucionados.”



Através da fantasia a criança compensa as pressões de sua vida e por serem otimistas e transmitirem uma mensagem de felicidade e realização, se aproximam da realidade das mesmas. As histórias educam e estimulam o desenvolvimento da atenção, da imaginação, observação, memória, reflexão e linguagem.


Um baile com todos fantasiados foi realizado no final do semestre de intenso trabalho.
Parabéns a Professora Jéssica por ousar inovar e acreditar na realização eficaz de seu trabalho.
Para a prática da Literatura Infantil não existem receitas prontas, o que deve existir é o conhecimento e o gosto do professor aliado a um espírito criativo, pois cada professor é conhecedor de sua realidade e por isso mesmo, deverá procurar melhores meios para desenvolver a sensibilidade literária.



Muitos adultos não gostam de ler, porque não foi desenvolvido neles o hábito e o prazer pela leitura, daí a importância da mesma ser vista como fonte de fruição e prazer.
O trabalho com a literatura, o brincar de faz-de-conta é necessário porque imitar diferentes situações permite-nos construir nossa história de vida e outras pequenas histórias, além de participar de atividades de curta duração que envolve tanto o coletivo, com momentos de negociações e limites, permitindo-lhe, assim, maior descontração e autonomia.


Enfim, o professor com sua criatividade, inteligência e imaginação saberá dar toques de entusiasmo às histórias, penetrando no mundo da fantasia que as crianças possuem, já que ele é considerado o marco inicial da personalidade da Educação Infantil. Este deve procurar desenvolver seu trabalho com atividades que a partir de leituras do mundo, coloquem os educandos em contato com a leitura e a escrita, favorecendo condições ideais para a alfabetização.
Paty Fonte



A professora Jessica Walter da Silva Costa que leciona em uma escola particular em Belo Horizonte – MG – elaborou um projeto de incentivo à leitura e o desenvolveu com os alunos do 2o período de Educação Infantil – crianças na faixa de 5 e 6 anos.

SUGESTÕES PARA ENRIQUECER O PROJETO
A maleta recebe os dedoches em feltro.
Esta maletinha linda é sugestão do blog
ARTE PEDAGÓGICA
CONFIRAM LÁ AS NOVIDADES CRIATIVAS
Leia mais...
0

Orientando os pais sobre os perigos da internet sem controle


Leia mais...
14

DIA DAS MÃES - Uma linda surpresa a cada dia

Uma surpresa em cada dia?
Isso é possível, e o melhor, sem gastar muito.
Presentinhos fáceis e baratinhos podem fazer a alegria de todos, basta usar a criatividade.

Este móbile será um sucesso.
Podemos colocar um ou dois guizos, encontrados nas casas de aviamentos, para que ele faça um leve barulhinho quando pegar um vento.


Quem não está sempre precisando de papel ou caneta na bolsa?

Este presente é super prático, alguns bloquinhos são encadernados ou presos, não sendo necessário mandar encadernar, vc pode optar por modelos mais práticos e fazer apenas a capa em E.V.A.

Este cartão ficará maravilhoso, basta pedir que a criança coloque em um lugar "escondido", para a mamãe ter uma linda surpresa.


Pode ser escondido na geladeira, próximo a saída, na bolsa da mamãe ou ao lado da cama



Lindo e barato, este presente é fácil de fazer e vai agradar muito. É só pedir que a mamãe desenhe as suas mãos no papel e envie para a escola, este será nosso molde.

Quando elas ganharem este lindo porta anel, ficarão encantadas com esta surpresa.






Leia mais...
3

Selinho de homenagem - Blog muito bom


Recebi este selinho da Luzimara do Blog PRAZER DE ENSINAR, nem imaginam a alegria que fiquei, pois meu blog teve seu início inspirado na iniciativa dela.
http://luzimara-prazerdensinar.blogspot.com/

1- Esse prêmio devemos atribuir aos blogs que gostamos e aos quais visitamos regularmente e postamos comentários!
2- Ao receber o selo "é um blog bom sim senhora!!" devemos escrever um post incluindo: o nome de quem nos deu o prémio com o respectivo link de acesso + a tag do premio + a indicação de outros 7 blogs.
3- A tag do prémio deve ser exibida no blog! Então, os blogs que a seguir indico são blogs fantásticos, que sempre que posso visito... (é pena ter de nomear apenas 7...)

PALMAS PARA ELAS:

OFICINA DA CRIATIVIDADE
http://jacirinha.blogspot.com/
Aprendiz Arte e Ateliê - Betty
http://aprendizarteatelie.blogspot.com/
Baú de Idéias da Ivanise
http://baudeideiasdaivanise.blogspot.com/
Blog sobre educação, aplicativos e novidades - Beatriz
http://biaproa17.blogspot.com/
Educar com amor - Bruna Andrade
http://wwweducarcomamor.blogspot.com/
Educar é fazer sonhar - Aline
http://educaresonhar.blogspot.com/
Ensinando com amor - Emanoela
http://ensinandocomamor.blogspot.com/
Leia mais...
0

Campanha da amizade - Um selinho para homenagear o seu blog



Campanha da amizade

Você que tem amigos queridos e gostaria de homenageá-los, participe dessa campanha que é uma forma muito especial de conhecer, ser conhecida e de presentear os blogs amigos que sempre visitam o seu cantinho.
Propague essa onda de amizade e participe você também. Eu recebi das minhas amigas blogueiras e agradeço de coração pelo carinho e acolhida e retorno este presente a vocês, então deixarei abaixo, apenas oito novos endereços:
Recebi este selinho de duas blogueiras muito queridas,
Educar com amor - Bruna Andrade
http://wwweducarcomamor.blogspot.com/
e
Ensinando com amor - Emanoela
http://ensinandocomamor.blogspot.com/
e
Baú de idéias da Ivanise
e
INSTRUÇÕES:
Pegue o selo no Gospel Gifs ( http://gospel-gifs.zip.net/ ),
nomeie 10 blogs amigos e visite cada um deles avisando da nomeação. Se você foi nomeado por alguém, passe adiante e visite os outros nove blogs que foram nomeados junto com você. Ao repassar a campanha, pode copiar o texto acima ou criar o seu próprio texto. O importante é não esquecer de avisar onde se encontra o selo e de nomear os seus 10 blogs amigos.
Vou deixar os nomes aqui, basta clicar logo acima, no espaço GENTE QUE EDUCA, que vocês terão acesso a estes blogs:



Leia mais...
6

Atividade com os combinados


Dinâmica com os combinados e regrinhas da sala.

Colocar as regras e combinados da sala em uma caixinha, faz-se a roda e canta-se o limão entrou na roda, substituindo-se a palavra "limão" pela palavra "caixa".

Quando para a música, a criança sorteia um combinado e cola em um cartaz previamente combinado. Com "O que pode" e o que " não pode".

No final, retoma-se os combinados.
Leia mais...
11

Plaquinhas para regras e combinados














































Leia mais...
2

PROJETO ALIMENTAÇÃO- DICAS de sites que colaboram com o tema


PEDIDO


Oi Mariana

Não tenho nenhum projeto sobre alimentação e alimentos, mas deixo abaixo, uma lista de links interessantes que podem ajudá-la a desenvolver melhor este tema.


Este projeto visa trabalhar a importância de uma alimentação adequada.Viver melhor e com mais qualidade de vida é imprescindível a todos nós.
Conscientizar nossas crianças de que uma alimentação correta na infância é um excelente processo para se evitar a instalação de doenças crônicas, a qual determinará o potencial de um indivíduo.Esta é uma tarefa nossa-educadores e pais conscientes!



Saiba mais



Conheça o projeto desenvolvido pelos alunos da Prefeitura Municipal de Quatá e aprenda mais sobre alimentação saudável.

Neste site você encontrará o download do projeto.



O projeto Corpo e Saúde foi extremamente rico para as nossas crianças pelas inúmeras possibilidades que tivemos em propiciar a elas uma exploração significativa do próprio corpo e de tudo o que as rodeia, vivenciando situações que contribuirão para a construção do conhecimento de si, do outro e do mundo.
Continuaremos com o trabalho relacionado ao esquema corporal no decorrer do ano, paralelo aos próximos projetos, pois é importante a criança se familiarizar com a imagem do próprio corpo, explorar suas possibilidades de gestos e ritmos corporais nas diversas atividades que são oferecidas.
No projeto “Corpo e Saúde” também abordamos temas que envolvem uma alimentação saudável, tão importante para a criação de hábitos e atitudes.
Um enfoque especial foi dado às frutas e aproveitamos para fazer algumas atividades envolvendo contagem e separação por cores.Fotos contagem de frutas e separação por cores



Saiba mais:

Leia mais...
9

DIA DAS MÃES - Preparando lindas surpresas


Atividades retiradas















Podemos preparar um álbum com versinhos, onde carimbamos as mãos, os pés, o dedo das crianças, elas fazem um desenho bem bonito, dobraduras e outras atividades, depois este álbum é entregue, na forma de um belíssimo cartão, para acompanhar o presentinho da mamãe.






Guia prático do Professor de Ed. Infantil

e

Projetos Escolares

Leia mais...